Dor na relação sexual não é normal

Dor na relação sexual não é normal, conheça possíveis causas

Um bom número de mulheres convive com dores ou incômodos durante ou após a relação sexual. Precisamos falar que qualquer tipo de dor neste momento não pode ser considerado normal, mesmo que seja comum de acontecer. Ser comum não significa que seja esperado ou possa ser visto como normal, mas poderia até significar que a pessoa se acostumou com isso ou não fala sobre o assunto por não o interpretar como importante.

Relação sexual que causa dor é assunto importante sim e precisa ser falado. Nossa saúde sexual é um pedaço de nossa Saúde Integral, se essa parte não está bem, consequentemente não estaremos completamente saudáveis.

Possíveis causas de dor durante a relação sexual

Existe a necessidade de descartar doenças infecciosas, mal formações, doenças pélvicas como a cistite de repetição ou a endometriose por exemplo. Por isso é muito importante relatar na sua consulta ginecológica seus incômodos com detalhes e sem medos. Descartados esses casos clínicos, podemos começar a pensar em alterações funcionais de seu aparelho genital e nas funções sexuais.

Aquela relação sexual que já parte logo para a penetração pode agredir o corpo que ainda não está excitado e lubrificado o suficiente para esse momento. O aparelho reprodutor feminino necessita de muito mais tempo e de um fluxo maior de sangue que o masculino para sair de seu estado de repouso e entrar em excitação completa. O canal vaginal precisa se alongar e se umidificar mais. A vulva precisa de mais sangue para se hidratar, acolchoar, permitir o deslizamento entre seus próprios lábios e o pênis ou vibradores, além de ser capaz de comprimir as glândulas vestibulares (chamadas anteriormente de Glândulas de Bartholin). As glândulas vestibulares liberam uma lubrificação mais oleosa do que a lubrificação do canal vaginal sendo muito importante no deslizamento das partes na entrada do canal vaginal.

Existem relatos de dores profundas e dores pós relação sexual, porém estas dores costumam estar mais ligadas a alterações dentro da cavidade pélvica e não na genitália externa.

Dica para diminuir a dor durante o sexo

O maior número das queixas de incômodos se refere ao início da penetração, exatamente onde se localizam as Glândulas vestibulares maiores e onde precisamos de maior deslizamento inicial.

A solução para esses incômodos pode ser simples: mais namoro, mais beijos, mais preliminares antes de tentar a penetração. O uso de lubrificantes de qualidade pode ser um aliado nestes casos.

Esses incômodos no início da penetração costumam ter relação com pequenos cordões fibróticos que se formam na parte interna dos lábios menores e não permitem o deslizamento dos tecidos na penetração mesmo que haja alguma lubrificação. Estes casos podem ser avaliados por profissional da fisioterapia pélvica e passam por terapia manual para que os tecidos tenham livre movimento e a aconteça a redução na sensibilidade dolorosa.

Andreia Magalhães
Andreia Magalhães

Fisioterapeuta e Acupunturista na Saúde da Mulher - Sócia da clínica Pelve Carioca-Saúde Pélvica e Integrativa. Especializada em atendimentos de Disfunções Sexuais Femininas, Dor Pélvica Crônica, Endometriose e Fertilidade. Palestrante e Educadora Sexual, professora em Pós Graduação de Fisioterapia Pélvica e em formação de fisioterapeutas no Tratamento de Endometriose e Dismenorreia.

Artigos: 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *